4 de mai de 2012

QUASE NADA



O amor
é uma ave a tremer
nas mãos de uma criança.
Serve-se de palavras
por ignorar
que as manhãs mais limpas
não têm voz.


Eugénio de Andrade

Nenhum comentário:

Postar um comentário