21 de abr de 2013

CANTIGA DE RODA



Ao som de ingênua cantiga,
Gira, ligeira, uma roda.

Bailam cabelos de linho,
Brilha a cantiga nos olhos,
Saltam, leves, os pezinhos.

Os grandes cedros antigos,
Também, se põem a bailar:
Cantam os ramos no ar,
Dançam as sombras no chão.


Helena Kolody
in 'Sinfonia da vida".

Nenhum comentário:

Postar um comentário