15 de set de 2012

SYLVIA PLATH



Como é frágil 
o coração humano 
—espelhado poço de pensamentos.

Tão profundo e trêmulo 
instrumento de vidro, 
que canta ou chora.

Sylvia Plath

Nenhum comentário:

Postar um comentário