8 de mar de 2012

DESEJO

(Minha Mãe, Dona Cândida)

DESEJO

Se Deus me permitisse eu colheria
Dos prados e jardins todas as flores;
E num gesto de amor eu juntaria
Da vida, a gostosura dos olores.

Olhando para o céu atrairia
Dos astros e estrelas luz e cores;
Da noite enluarada esta magia
De brancura sem par feita de amores.

Eu traria pra mim a paz dos campos!
A orquestra invulgar dos passarinhos
E todo o amor de um coração ardente.

Dos anjos, a candura e os encantos
E a ternura cálida dos ninhos
Pra dar a minha mãe como presente.


Bernardina Vilar
In ‘Bom dia, Saudade!’ (1995)

Nenhum comentário:

Postar um comentário