28 de ago de 2011

Rosto sem cor



Um dia sem rosto,
nuvens passageiras, absolutas,
seduzidas pelos tons matinais
de nossas cálidas manhãs

E nós,
somos o momento estremecido
sobre o mar do tempo,
a fuga sem volta
de tudo que nos deserta

Perco tua face,
na luz que denuncia
o silêncio do anoitecer,
no tom da brisa dos sons alísios
que adormecem meu ser.


Conceição Bentes
Publicado no Recanto das Letras em 28/08/11
Código do Texto: T3186891

Um comentário: