18 de ago de 2011

Desapego




De nada serve
o apego do amor
as horas divididas,
para os que passam
como brisas de outono

Congelo os olhos no tempo,
pesco estrelas, selo o abismo
dos meus caminhos inacabados

Minhas palavras sonâmbulas,
recebem o desafio das horas
que aprisionam em sonatas,
os ponteiros da vida


Conceição Bentes

Nenhum comentário:

Postar um comentário