10 de ago de 2011

Depois da Chuva


Depois da chuva,
as árvores brotavam de um silêncio verde,
e os pássaros cantavam, escondidos em ninhos de pedra.
Havia uma luz débil, amarela, oblíqua, crepuscular,
uma luz que fazia compridos os dias, que engrandecia.
E, em meus pequenos jardins, um odor a hortênsias, a amores-perfeitos.

Naquele tempo, depois da chuva,
as nuvens, como nós,
passeavam, brancas, sobre a cidade deserta.


Koi Hui-Sio

Um comentário:

  1. Lindo esse trecho,confesso que ainda não conhecia.
    Que bom que você gostou do texto.Agradeço pelo carinho,escrevi e postei esse texto há muito tempo e nem me recordava mais dele.Foi um desses escritos joviais,dramáticos e quando me questionava vários assuntos.
    Impressionei-me com a quantidade de livros interessantes sobre os quais você disponibiliza o download e não fosse minha Miopio os baixaria e leria com imenso prazer.
    Beijoos ;*

    ResponderExcluir