2 de fev de 2011

Poema

Se queres o vôo desliga-te de tudo,
De tudo que é excrescência,
Desfaz o véu que te embacia a face,
Descalça os pés e sente a pura terra.
Desfaz-te da palavra que já vem mentida,
Do teu instinto de defesa
E dá a mão à nuvem que caminha por ti.
Se queres encontrar o teu canto
Deixa-te guiar pelas coisas ressoantes,
Se queres encontrar o que perdeste,
Se queres descobrir o que consola
E por que clamam os teus sonos tristes
Encolhe-te no silêncio.
Tudo a que aspiras são cadeias
Que te prendem ao pensamento consternado
Que o tempo reduz superado
Antes do primeiro desejo sepultado.

(Adalgisa Nery)

4 comentários:

  1. Se pensarmos em termos de caminho, a mensagem é excelente!

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde.

    Estou lhe seguindo, e voltarei depois para ler com mais calma.

    Maria Auxiliadora (Amapola)

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. Belíssimoblog.

    Por favor: De quem é esta imagem?

    Beijos!

    ResponderExcluir