24 de nov de 2010

Motivo


Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
- não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
- mais nada.

(Cecília Meireles)

3 comentários:

  1. Bonito demais essa poema, parabéns pela postagem

    ResponderExcluir
  2. Grande Cecília Meireles...Bonito poema...
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Aqui eu vivo tão vivamente
    Neste jardim de praia e mar,
    Beleza que se me prende o olhar
    E minh`alma tanto amor sente!

    Loucopoeta

    Beijos & Flores! M@ria

    ResponderExcluir