3 de set de 2010

SONHOS



SONHOS

A noite... A lua... Minh’alma está inquieta...
Meu eu, candente, é vida a despertar.
Sufoco a fêmea... Liberto a poeta,
pra versejar o que não sei calar.

Eu quero o abraço que me entranhe em ti,
quero teu corpo a recobrir o meu;
quero o delírio, que jamais senti,
na razão plena do teu apogeu.

Quero teu sol no mar do meu desejo,
qual fora o ocaso, em seu final arquejo...
Fusão suprema de um amor sem fim.

A noite... A lua... Sonhos... Madrugada...
Olho ao redor... E não te encontro... Nada...
Findou o verso que eu teci pra mim.

- Patricia Neme -

Nenhum comentário:

Postar um comentário