11 de set de 2010

Solidão sem fim... (sem verbo)


Solidão sem fim...


Luar lá fora...
E em meu rosto,
lágrimas em cântaros!

Diante de mim,
na noite enluarada,
cheia de brilhos e encantos,
a minha última esperança:
- Teu vulto por aquela estrada!

Silêncio... Solidão...
E um angustiado coração...
Esperançoso, desencantado...
E por fim... Nada,
apenas o abismo...
Da dor e da saudade!


Regina Helena

Um comentário:

  1. Poema se verbos. Apenas adjetivos e substantivos! Uma forma especial de escrever!
    Beijos!...

    ResponderExcluir