1 de set de 2010



As borboletas são livres...

Borboletas são livres... Minha alma também.
Anseio liberdade, beleza e amor
De ir, vir e sentir
Paixão, ar, calor.
Preciso criar...
Voar
Sentir o vento nos cabelos
Mas os pés no chão.
Quero abraço
Mas quero espaço.
Mulher borboleta
Pequenina e voraz
Tem um vôo que seduz
Uma beleza que satisfaz.
Possuidora de uma leveza que conduz
De uma força que induz.
Sua fragilidade lhe traduz
Uma mulher que reluz!
Precisa de arte
Precisa que invada.
Que o coração dispare
Que a saudade mate.
Não a prenda
Traga flores para que venha.
Ela não é para qualquer um
Ela é da natureza
Ela é dela.
Tranque-a e ela morre.
Sopre-a no vento...
Que ela vai.
Mas espere
Pois ela volta.

Carolina Salcides

Nenhum comentário:

Postar um comentário