22 de ago de 2010

iludamo-nos


Desenganos do passado,
Não servireis ao porvir?
Sempre a perder ilusões
Sempre ilusões a sentir!

Não mais, não mais; nesta vida
Ainda esperar é loucura.
Sofrer: eis nosso destino!
Sonhar: eis toda a ventura!

Soframos pois... Não, sonhemos,
Criando mundos ideais,
E com mentidos prazeres
Curemos penas reais.

Ilusões, sede bem-vindas,
Povoai-me o pensamento:
Convosco, sim, a ventura
Se goza per um momento.

Júlio Dinis

Nenhum comentário:

Postar um comentário