17 de jul de 2010

Teus Silêncios

Teus silêncios que sutilmente subscrevo
mastigam minha eternidade quase tonica

Teu silêncio são abreviadas reticências
de sonhos paridos por luas cheias do nosso céu

São amarrotados pontos de exclamação
com cheiro e sabor de volúpias e suspiros
que repousam na nossa carne

São claras virgulas de desespero
do nosso ponto final.

(Marlise)

Nenhum comentário:

Postar um comentário