15 de jul de 2010

Rastros de Flores Amarelas


Deixo meu rastro na terra
Em forma de flores astrais
Carrego nos anos da vida
Sonhos que não voltam mais

Deixo flores multicores
Verde canto de acalanto
São azuis as violetas
Que carrego com espanto

Trovador canta o romance
Das camponesas belas
Bailando sempre loucamente
Pisando em flores amarelas

Sigo em frente...
Envolvente, docemente
Sigo o som da cantiga
Da voz que ecoa no cais
Da vida da despedida
Dos mimosos madrigais


Anna kerenina

Um comentário: