27 de jul de 2010

Muro


Muro

Muros que transponho
Do outro lado teu corpo
Pele de longe macia
De perto seda
Tuas flores, canteiros tenho!
Jardim que acorda
Flores que no chão se esparramadas
Fazem de ti, puro desejo!
Teus olhos mistérios
Tua boca mordida
Teu colo em chama
Fazem de mim
Escravo, rendo-me as tuas formas!
Mas desse lado do muro
Só te vejo
Pro trás do qual cativo vivo

Ulisses Reis®
24/01/2008

Um comentário:

  1. Lindo!!!!

    Quantos segredos há ainda por trás desse Muro?... Você é uma deliciosa surpresa a cada verso...

    Degusto tuas letras em chamas...

    Beijo!

    ResponderExcluir