9 de jul de 2010

Conforte-me

Conforte-me,
Preciso do seu conforto.
Meu olhar, tão distante,
Meu pensamento, quase morto.

Não chore junto comigo,
Dê-me a paz que traz consigo.
Faça sentir-me um homem-criança,
Não devo perder a esperança.

Faça isso por mim,
Sinto-me perdido
Num vazio sem fim.

Seja minha amiga,
Minha amada, minha amante.
Conforte-me,
Ao menos por um instante.

Paulo Odair.
In 'Poesia sua vez' (2008)

Um comentário:

  1. OBRIGADO AMIGA, FICOU LINDA A ILUSTRAÇÃO.
    TENHA UMA ÓTIMA SEMANA,
    ABRAÇOS,
    PAULO ODAIR-POETA
    SUZANO-SP

    ResponderExcluir