16 de dez de 2009

CHUVA



Chuva, caindo tão mansa,
Na paisagem do momento,
Trazes mais esta lembrança
De profundo isolamento.

Chuva, caindo em silêncio
Na tarde, sem claridade...
A meu sonhar d'hoje, vence-o
Uma infinita saudade.

Chuva, caindo tão mansa,
Em branda serenidade.
Hoje minh'alma descansa.
— Que perfeita intimidade!...


Francisco Bugalho
in "Paisagem"
(1905-1949)

3 comentários:

  1. Cântico de Lívia

    Alma gêmea de minha alma
    Flor de luz de minha vida
    Sublime estrela caida
    Das belezas da amplidão...

    Quando eu errava no mundo
    Triste e só, no meu caminho,
    Chegaste, devagarinho,
    E encheste-me o coração.

    Vinhas na benção das flores
    Da divina claridade,
    Tecer-me a felicidade
    Em sorrisos de esplendor!

    És meu tesouro infinito.
    Juro-te eterna aliança
    Porque sou tua esperança,
    Como és todo meu amor!!
    Alma gêmea de minha alma
    Se eu te perder algum dia
    Serei tua escura agonia,
    Da saudade nos seus véus...

    Se um dia me abandonares
    Luz terna dos meus amores,
    Hei de esperar-te, entre as flores
    Da claridade dos céus.


    - Emmanuel / Chico Xavier -

    Beijos de coração prá coração!
    M@ria

    ResponderExcluir
  2. "Diante da vastidão do tempo e da imensidão do
    universo é um imenso prazer dividir um planeta
    e uma época com você."

    Carl Seagan

    Bom e abençoado FDS.....Beijos poéticos!!

    ResponderExcluir
  3. Livres
    interiorizamos a esperança,
    sorvemos o Sol
    dos dias que fogem,
    Vestimos o desespero
    com pétalas de flores.

    Luiza Caetano

    Beijos perfumados no coração! M@ria

    ResponderExcluir