23 de out de 2009

Paula



Paula

Cigana, o teu dançar embala a vida,
o som do teu pandeiro anima o vento
Teu negro olhar é luz que à paz convida,
no teu sorriso resplandece o firmamento

Cigana, mãe querida, meu alento...
ainda me dói a dor da despedida.
min'alma não vê fim a esse tormento
Sem ti perdi meu porto de acolhida.

Contemplo o céu... Te busco... Onde andarás?
Em qual brilho de estrela, agora, estás?
Naquela que precede o Criador?

Por certo ELE te fez estrela guia,
pois foste essência pura da alegria,
a fonte do mais verdadeiro amor!

- Patrícia Neme -

Nenhum comentário:

Postar um comentário