12 de mar de 2009

TUDO PASSA


TUDO PASSA
(Genaura Tormin)

Esforço insano
Ao baixar o pano
Desse palco!
Atores moribundos,
Esquecidos nas curvas
Da memória,
No lento vagar
De águas turvas,
Encapeladas de agonia.
Risos sarcásticos!
Falta a alegria!

Tudo,
Que um dia
Foi um arco-íris,
Bordado de luz e vida,
Hoje são restos de verdades,
Retalhos de amor,
Fragmentos de amizade...

Desbotados,
Quase amarelados,
Perecem sob o açoite do vento,
Do sol causticante,
Que matam vagarosamente
O enlevo de amor
Que havia entre a gente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário