23 de mar de 2009

SAUDADE ALTANEIRA


SAUDADE ALTANEIRA
(Genaura Tormin)

Gosto de ti
saudade louca,
desvairada e atrevida.
Saudade altaneira
sem eira nem beira.
Saudade de menina,
saudade fagueira.

Gosto de ti
nas noites densas,
nas tardes quentes
ou no pôr-do-sol

Saudade querida
que me aperta o peito,
me deixa sem jeito
com lágrimas nos olhos.

Mas,
gosto de ti!
Viajo nas tuas asas,
pego carona no vento
e consigo
fabricar felicidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário