20 de mar de 2009

RELÓGIO MALVADO


RELÓGIO MALVADO
(Genaura Tormin)

Ontem
Te fiz a última poesia.
Falei tanto do meu amor!

Ontem
Ouvi tua música preferida
E tua imagem se fez profunda em mim.

Mergulhei
Em cada canto do teu corpo
E me deixei ficar,
Embriagada
Na ternura dos teus braços.

Ontem
Tive o prazer de ter-te ao meu lado,
No tapete verde de um gramado,
No êxtase sem fim
De beijos e abraços,
Onde éramos as vítimas
De um amor cumpliciado,
Astuto,
Rebelde
E ouriçado.

Quando explodia em mim o coração,
E o sentimento
Sem amarras me vencia,
Eis que o despertar do relógio no criado
Devolve-me à realidade,
Quando pude perceber,
Que apenas,
Havia eu SONHADO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário