20 de mar de 2009

LAMENTO



LAMENTO
(Genaura Tormin)

Serei o grito do vento
E a tristeza dos que se foram.
Desafinadas as cordas,
Esquecerei a melodia,
Queimarei os versos,
Cultuarei as cinzas
Restos de alegria.

No outono,
Com um sopro quente,
Afinarei as cordas
E outros versos farei.

Cantarei o desalento do tempo,
E vestirei máscara de palhaço
Para gargalhar a vida.

E os desejos
Alcançarão o infinito,
Colados nas asas das pandorgas,
Protótipo de uma nova liberdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário