17 de mar de 2009

DESENCONTRO


DESENCONTRO
(Genaura Tormin)

De saudade,
extravasei-me em lira,
tornei-me eco
pela noite escura.

Corri pelas caladas,
venci distâncias
e senti-me junto a ti.

O peito em ânsia,
a voz em desconexo,
o cérebro parado,
eu esperava imóvel
a tua presença,
na gostosura
de saber-te junto a mim.

E eu te amava,
mais ainda...

Mesmo assim
te foste,
sem perceberes
que eu estava ali.

Nenhum comentário:

Postar um comentário